Fiz o TEFAQ – esperando o resultado

Conforme comentei no ultimo post do blog eu estava me preparando para fazer o teste de francês – TEFAQ. Assim que as aulas do curso preparatorio acabaram eu marquei a prova e vou contar minha experiencia pra vocês (e aproveitar pra comparar com o DELF).

Pra começar é uma maravilha que eles oferecem o TEFAQ 3 dias da semana toda semana! Peguei o dia e hora que melhor se encaixavam no meu horario do College. Eu fiz a expressão oral e a compreensão oral que são exigidas pela imigração:

“…you can submit:

  • an attestation of results of a French test or diploma recognized by the Ministère that demonstrates attainment of a level of competency in oral comprehension and oral production of 7 or higher on the Échelle québécoise des niveaux de compétence en français des personnes immigrantes adultes or to its equivalent [level B2 of the Common European Framework of Reference (CEFR)].” > Immigration Quebec.

No TEFAQ eles dizem seu nivel baseado na pontuação que você atinge – enquanto no DELF você escole o nivel da prova e passa ou não. Ao contrario do que eu esperava eles começaram com a parte oral =X. Eramos apenas 3 pessoas agendadas para aquele horario. Em uma sala as avaliadoras vieram nos explicar o exame (que eu ja sabia por causa das aulas preparatorias). O exame oral é dividido em 2 partes:

  1. eles apresentam geralmente um serviço e você tem que fazer perguntas por 5 minutos. Parece longo, mas o avaliador te responde então não é tão ruim assim. Na aula a gente praticou com restaurante, locator de carro, anuncio de apartamento, etc na prova eu peguei “caça ao tesouro” (é  tipo fazer uma trilha com pistas que te levam a mais pistas pra achar um “tesouro”). Alem da gramatica conta ponto a pertinencia das perguntas e a sua reação as respostas. Se voce se imaginar ligando pra um lugar pra pegar mais informação você não terá problemas. (onde fica, qnt é, tem disconto, o que eu preciso pra participar, aceita cartão, é perto do metro/onibus etc). Nessa primeira parte você tem que usar o Vous.
  2. eles te apresentam um situação e você tem que convencer seu “amigo” a participar. Dura 10 minutos. O avaliador vai sempre recusar e sua função é encontrar argumentos pra convencer. Mas uma vez o avaliador vai responder e você não fica falando 10 min direto sozinho. Na aula a gente praticou com vegetarianismo, usar um serviço, ajudar a organizar uma festa pros vizinhos e na minha prova foi turismo voluntario (viajar pra ajudar lugares necessitados) com tudo pago o/. Cada situação requer argumentos diferentes. Tem que saber contra argumentar. Se dizer “não tenho dinheiro” você pode dizer que empresta. Se falar que é complicado você moestra como é simples; que não tem motivação fala que vai junto etc. Nesse parte você tem que usar o Tu.

Depois de explicar os exames eles tiraram qualquer duvidas. Eram duas avalariadoras e ela foram mt queridas e ajudam bastante. A ultima coisa que elas queriam era assustar ou prejudicar. Eu fui a primeira das 3. Fui pra uma outra sala pra fazer o exame (que é individual). Fiz uma parte com uma e a outra parte com a outra. Uma coisa que eu preferi ignorar é o fato que eles gravam o exame oral. Odeio ser gravada e isso só ima me deixar mais nervosa. Então ignorei isso para o meu proprio bem estar.

Em um determinado momento, especialmente na parte 2 eu me enrolei na frase. Como eu não falo frances com frequencia (quase nunca) eu não estou acostumada e me enrolo com as palavras e as vezes com a seguencia da frase. De forma geral eu conseguia me ajeitar – nem que eu recomeçasse a frase de outra forma. Mas ai que me enrolei com uma palavra… hopitalaire? hopitale? hospit.. =S E não é que a avaliadora me mouth the word (falar sem fazer som) hopiteau (é assim que eu imagino que escreve o que ela me disse rs). Fora isso boa parte do tempo elas estão só escutando ou respondendo. Essa querida sorriu algunas vezes e balançou a cabeça. I’ll take that as a good sign! Quase perguntei no final, depois que pararam de gravar, se me saí bem. Mas 1) eu travei 2) não sabia como perguntar 3) imaginei que elas não iriam dizer. Devia ter tentado……

Dai esperei as duas meninas e só quando elas acabaram a gente fez a compreenso oral. É feito no computador e uma vez que você começa não tem como parar nem voltar nem pular. Tudo avança automaticamente. Tem um reloginho no canto te dizendo qnt tempo resta ate trocar a pergunta. É tudo multipla escolha. Cada resposta certa é +3 cada errada é -1 e cada ‘não sei’/ não respondida é 0. Ou seja, não é uma prova pra sair chutando. Marcaquei as que tinha certeza e se eu tinha algum resquicio de dúvida eu marquei ‘não sei’. As duas vezes que a gente fez os exercicios que nem a prova na aula eu passei, mas da segunda vez eu não chutei e preferi usar o ‘não sei’ e fiz muito mais pontos. Confesso que entrei em panico com algumas perguntas e acho que teve uma questão muito dificil em que com apenas 2 escutas você tem que responder 3 ou 4 questões eu acabei colocando ‘não sei’ e acho que só respondi uma questão. No inicio eu tava bem mais do meio pro  final eu fui entrando um pouco em panico porque não tava tendo tempo pra processar. Depois fiquei com medinho de não estar respondendo o suficiente pra somar pontos. Pra minha supresa no final eles dão o resultado e eu alcancei o B2 pra compreensão oral e agora só me resta esperar umas semanas pra saber o resultado da expressão oral. Mas eu acho que fui bem sim =)

A minha empressão é que o DELF é mais voltado pra lingua (gramatica, verbos etc) e o TEFAQ é mais voltado pro uso da lingua (fazer perguntas e entender pegadinhas, se comunicar em geral). A escuta do TEFAQ é cheia de pegadinhas e algumas vezes você tem que ligar os pontos pra saber as respostas. O exemplo que eu posso dar é o exercicio em que vc tem que saber onde a mensagem foi dita. As opções são como estação trem, aeroporto, estação de metro, avião. Dai você não vai ouvir nenhuma dessas palavras. Você tem que saber que “gare” é usado pra trem, que portão de embarque é aeroporto e assim por diante. Ou o contrario, vai achar que ouviu todas. Você vai ouvir uma mensagem deixada em secretaria eletronica e você vai ter que dizer qual o tema de mensagem: marcar um jantar, dizer que vai atrasar, confirmar o jantar, desejar feliz aniversario. E de uma forma bizarra você acaba ouvindo quase todas as palavras chaves das opções. Mas ai que é um jantar de aniversario e na verdade só pediu pra não atrasar e ta pedindo a pessoa pra confirmar a presença no jantar. Dai que se você não estuta direito todas ou 3 das 4 opções parecem estar certas e você fica confuso. No fundo a parte de escuta não tem nada de gramatica, é pura compreensão do que foi dito. Só a ultima questão que é pra ouvidos sensiveis. É quando você tem que saber a diferença entre ‘ou’ e ‘u’ (tout/tu); entre ‘s’ e ‘ss’ (poison/poisson) e outros sons similares. Tem uma frase simples e você tem que dizer se ouviu a mesma coisa do que ta escrito. Escrito tem : tu peux me dire tout. Falado foi: tu peux me dire tu. Dai que não é a mesma coisa.

Enfim, uma vez que eu tiver o resultado official das provas (que eu estou confiante que passei) alem de feliz eu vou estar de uma certa forma começando a minha papelada pra imigracão! =O medinho emoção e adrenalina!

Ela

 

Anúncios

Procurando alternativas para imigração

Com todas as mudanças no processo de imigração eu ainda me pego tendo medo de não conseguir ter todos requisitos/pontuação minima necessários. Com isso resolvi dar uma olhada nas opções para imigração, afinal um país daquele tamanho deve ter um espacinho pra gente em algum lugar né!

Entrei no Canadavisa.com. Lá tem um teste que sugere o melhor programa de imigração de acordo com seu perfil. Como a gente não se enquadra em bussiness nem em family eu fiz o teste em general mesmo e quando perguntou pra onde  queremos ir eu deixei em aberto com a unica opção que permite isso “i’m not sure”. Preenchi todo o teste e calculando a distancia de daqui um ano mais ou menos (depois da minha viagem) e a gente passou! E a primeira resposta que tivemos foi a pontuação que tivemos: 75 sendo o mínimo 67  =D

resultado do teste do Canadavisa.com

Clique na imagem para ampliar

E quando o email veio ele sugeriu o Federal Skilled Worker Class (FSWC) e que ele fosse o aplicante principal. Eu não sei se esse site é oficial (quem é Campbell Cohen?) ou se é só mais um site cheio de informações, mas ele disse muita coisa que me fez pensar.

Pra quem está interessado na imigração pelo Federal aqui vai uma informação que recebi no email:

I am pleased to inform you that the Canadian government has announced exciting new changes to the Federal Skilled Worker Class (FSWC), which are expected to take effect on January 1st, 2013.

[…]

The FSWC will be open to managers, professionals and technicians, who:

– Have at least 1 year of full-time work experience in the last 10 years

– Demonstrate at least an Adequate-Intermediate language proficiency in English or French (Canadian Language Benchmark: 7)

– Obtain at least 67 points on the new point grid (based on language proficiency, age, work experience, education and adaptability etc.)

– Have their foreign education credentials assessed, authenticated and given an equivalent value in Canada

Quem estiver aí esperando o processo reabrir pode ir arrumando os documentos pra janeiro 😉

Voltando a minha busca do melhor programa de imigração…

Eu resolvi dar uma olhada em todas províncias just in case (se quiser fazer o mesmo clique aqui). As provincias com menos programas de imigração tem pelo menos 3: familia, estudante que ganhou diploma lá, skilled worker. Alguns tem o bussiness tb. Como não temos familia lá, como não estamos nos formando lá, como não vamos fazer bussiness só olhei o skilled worker. As seguintes provinciais foram eliminadas porque tem que ter oferta de emprego: Alberta, Bristish Columbia, News Brunswick, Newfoundland, Northwest Territories, Nova Scotia, Ontario, Prince Edward, Saskatchewan, Yukon. Conclusão: as províncias menos faladas são menos faladas por algum motivo. Com isso sobrou Manitoba e Quebec sem oferta de emprego.

ok, British Columbia tem bastante opções e tem ate um voltado pra turismo e restaurante que eles chamam de semi-skilled, mas tem que estar trabalhando lá ou ter a bendita oferta de emprego…

Depois, em  Saskatchewan  dentre algumas opções diferentes (clique aqui e role até metade da pagina) você pode imigrar depois de trabalhar lar por apenas 6 meses (dentro do programa SINP Existing Work Permit Category )!!

Agora Manitoba tem aquele lance da visita exploratória e a missão de recrutamento que eles chamam de Strategic Initiatives. Mas a visita exploratória agora só ano que vem. Só que é preciso ter dinheiro pra custear a viagem pra lá. *Postaram no grupo de Manitoba do Facebook o seguinte pdf dando mais explicações e valores do processo: Manitoba (obs: o texto diz que a viagem tem que ser de 15 dias mas depois de uma troca de emails com a imigração postaram que o minimo é 7 dias). E a tal da missão.. Bom, eu não achei nada dizendo por onde eles vão passar com essa missão.

Aparentemente a unica opção valida ficou sendo o Federal mesmo. E eu tenho essa sensação que ir direto pelo federal é pior D= Quem aí foi ou está indo pelo Federal? É possível chegar no Canadá?

E outra indo pelo Federal não pode ir pra Quebec… Poxa eu tava curtindo tanto a ideia de ir pra lá. De qualquer forma não indo pra Quebec eu iria pra Ontário (ver comentários). Mas o pior de tudo é que não passei no teste do site oficial Cidadania e Imigração. É o fim? 😦

Ela

Mas e o francês?

Comecei o blog falando de inglês como se não soubesse que lá, em Quebec, se fala francês. Acontece que eu já venho estudando francês faz alguns anos (sim, anos!) e fiz o B1 do DELF ano passado – pouco antes de abandonar as aulas =X e fingi que isso  não era problema.

Acontece tambem que eu tenho a minima confiança pra sair falando francês por ai. Quer saber, vou contar do começo! *senta que la vem historia*

Resolvi fazer francês porque sim e fiz um ano de Aliança Franceça. Saí do curso pra um lindo intercambio de 6 meses em Vancouver no querido Canadá (isso em 2008). Lá estudei inglês e ganhei a confiança que faltava para abrir minha boca e sair falando english. Na volta, abandonei a Aliança – lá é meio caro né – parti pra um prof particular – ui que chiqueee! Muito legal ele =D E fiquei la o resto dos anos lá falando português nas aulas e escutando infinitas vezes “en français!”. Acho que chegou um ponto que ele simplesmente deixou de insistir muito e ficamos assim, ele falando francês e eu falando português (francês só lendo em voz alta). Daí ele começou com essa coisa de “por que você não faz o DELF?” Dizia que eu faria facil um A2, mas que seria melhor fazer o B1 e se eu quissesse muito a gente podia estudar pro B2. Fiquei com o B1 mesmo 😉

A partir de então nossas aulas ficaram voltadas pro teste. Exercio, sumilações e todo o material que ele tinha. Meu maior problema era escrever e falar – nada muito imporante. Escrever por causa dos “au”, ” eu”, “eux”, “-aint”, “-ai”, “-ait” e todos os sons que soam iguais, mas escreve diferente. E falar por causa da minha (falta de) segurança. Sem contar que muitas vezes me falta vocabulario que eu sei na hora de formar a frase. =/

Lembro como se fosse hoje que cada dia que passava e a prova se aproximava eu ia ficando tensa!! No final de semana antes da prova eu fui com uma amiga ver uma peça, só que eu não sabia que ia se passar em Paris! Nossa eu tensa não conseguia esquecer nem no teatro que a prova era naquela semana. E ainda mais que antes de começar eles colocaram musicas francesas como ambientação ou sei la. E lá estava eu, frustrada por não conseguir enteder as musicas… Era muito rapido! E se eu não entender o que o cara falar na hora da prova?? E se eu não souber responder?? Eu estava certa de que eu não sei falar francês.

Dia da prova.

Fui eu cedo (tipo 9h ou 10h da manhã) pro mesmo Aliança que eu tinha feito aula me juntar com os outros. Começamos com o ecute (ainda não superei os acentos e ainda comecei a confundi em pt!) depois acho que foi compreenção de texto e a redação. Sabe Deus como eu não sabia fazer textos de “escreva uma carta para fulando contando sobre sua viagem” sabe esse tipo de exercicio? Parte do problema era francês/vocabulario e a outra parte era imaginação rs

A parte oral só seria de tarde. Quanta agonia! Fui pro shops fazer hora e almoçar, quem sabe, se meu estomago deixasse. Fiquei eu estatica de panico admirando a beleza do Rio, da vista pro Pão de Açucar tentando acreditar que ia dar tudo certo. Dando a hora me arrastei de volta pra Aliança e esperei a minha vez –  nem esperei muito ou talvez não lembre, era muito panico junto! Lá estava o professor simpatico suuuuuuuper tranquilo, de bom humor até. Começamos com uma conversa mesmo de “ça va? ça va.” (não lembro se foi tãao informal). Ele começou as perguntas mais faceis: sobre mim. Faceis porque bem ou mal eu me conheço e esse assunto eu domino um pouquinho ne rs Depois ele passou para as dinamicas. Escolhi uns papeisinhos com situações e assuntos e dos 3 que eu peguei eu podia escolher um (claro, aquele que você se sente  mais a vontade :D). Ele criou tambem uma situação do tipo: ele trabalha comigo e vai me convidar pra participar de alguma coisa e eu vou ter que fugir disso (^^). Daí ele começou e eu tinha quer ir respondendo, como uma conversa ou teatrinho. E por ultimo eu tinha que falar do assunto que eu escolhi. Tipo uma mini apresentação de … 5 min. E c’est fini! Nossa, foi tão rapido! Eu sai de lá tãaao leve que poderia ter flutuado. Nem digo isso por achei que tinha ido bem não. Alias isso nem era importante pra mim, o importante era que tinha acabado! *-* Seja bom seja ruim o resultado.

Meses depois comecei a trabalhar, entrei numa pós de marketing e simplesmente francês perdeu espaço. Não durei 2 meses na pós – que ideia poia de começar no trabalho e ainda uma pós tudo junto! E vai fazer um ano que não estudo francês 😦

Aaaah! O resultado né! Então, demorou tipo 6 meses pra sair o certificado!!!! E para felicidade de todos e surpresa geral da nação a minha maior nota foi justamente a oral! :O Eu fiquei chocada. Meu prof ficou chocado! Quase um abusrdo né (absurdo bom, claro rs). Até hoje eu acho que isso deve ter sido um erro e que eu não falo nada além de bonjour xD

Quando eu vi que o DELF é aceito na imigração eu achei o maximo porque pelo menos nessa parte eu ja tinha um adianto. Acontece que eu li que tem ter no maximo 2 anos do momento que der a entrada no processo. Daí que eu ainda não sei quando vou começar isso e capaz de sair dessa ‘validade’, teria que fazer de novo. O lado bom é que eu posso estudar pro B2 e ficar um nivel a cima \o/ Por outro lado, eu tenho é que estudar como falar no francês quebecois, mas não para prova, pra imigração mesmo…

E só pra ele não se sentir excluido vou comentar que ele tem ir lá começar a aprender o bonjour e o je m’apelle…. rs

Gente, desculpa pelo texto giga enorme! Je parle trop D:

Ass: Ela.

Pelo menos no teste eu já passei

Achei por ai dos sites dessa grande internet um tal de immigrer.com e que apresentou um teste mais completo que o do site oficial pois ele considera a parte psicológica da pessoa.

Achei legal que tem grafico e topicos no resultado.  Olha o meu:

Profil – Socioculturel – Connaissances – Professionnel – Familial – Finance

Acho que não da pra ler nada né… Bom eu tava indo muito bem até que eu ficar extra mal em connaissances de Quebec/Canada que ficou representado pelo verdinho quaaase invisivel de tão baixo que tá. Eu até pareço está muito bem nos outros, mas o gráfico vai ate 70%, então veja bem rs

Depois ainda tem um texto falando de cada um dos topicos tratados no teste.  Não vou colocar o texto todo – pq né – mas vou colocar a porcentagem especifica.

1. Profil actuel : 61%

2. Socio-culturel : 65%

3. Connaissance du pays d’accueil : 23%

4. Question professionnelle : 53%

5. Aspect Familial : 57%

6. Approche financière : 52%

Que vergonha! Olhei tanta coisa e esqueci de olhar politica, historia e essas coisas D:

Bom, não sei se da para se basear nesse teste, mas ele pelo menos mostrou o resultado detalhado (coisa que o teste ofical não fez. O “é, pode ser que você passe” ou “não, você não serve se enquadra” é bem vago…)

Acho que não deixei claro que ele esta todo em francês, mas isso não é problema nós, futuros imigrantes, suuuuper fluentes na lingua né ;P

(obvio que la no meio do teste – que acabou sendo maior do que eu esperava –  eu desisti de tentar advinhar as palavras e fui procurar as mais estranhas dificeis no melhor dicionario que tem: o google!)

Se quiser tentar a sorte um passatempo está aqui o link do teste.

Ass: Ela.

Trocando o TOEFL pelo IELTS

No post de ontem eu falei que pretendo fazer o TOEFL (quase sempre escrevo toELF as in elfo rssss). Daí que dando umas bisbilhotadas a mais hoje na internet eu vi que eles começaram a fazer questão de que o imigrante já saiba a lingua e prove isso (o que aparentemente eles não cobravam antes…) e eu vi no site o ficial o que eles aceitam o IELTS e o um tal de CELPIP (ambos estão na minha listinha de siglas a li de cima 😉 ) e ainda tinha a observação de qual teste fazer, já que ambos tem dois tipos.

Note: IELTS has two options for the reading and writing tests: “General Training” and “Academic.” You must take the “General Training” option.

Então tá.

E pelo o que eu vi no site do proprio IELTS ele não tem validade, apenas a data em que foi realizado. Ao contrário do TOEFL, que tem o prazo de 2 anos (sacanagem) simplesmente pq eles acreditam que você desaprende tudo em 2 anos ¬¬. Bom, que venha o IELTS então!

Talvez você esteja se perguntando porque eu estou me preocupando com testes de inglês se penso em ir pra Quebec onde a lingua oficial é o francês. São vários motivinhos. Primeiro que se o país é considerado bilingue eu acho inteligente ter um prova que eu falo inglês tambem. Segundo que eu me sinto mais confortável com inglês do que francês e até eu dar inicio no processo de fato eu penso em procurar emprego lá daqui mesmo já que a) facilita a aceitação e acho até que deixa o processo mais rapido e b) como eu já disse em garanto mais. O bom de Quebec é que ele parece mais receptivo e mais interessado em imigrantes que o resto. Posso estar completamente errada, mas parece. Outros motivos é que Montreal é bilingue, ou se tudo der errado eu fico com o certificado pra mim (já que esse dura pra ~sempre~) etc etc.

Ass: Ela.

Planos antes do Plano Principal

O plano principal é ir morar no Canada. Ponto.

Mas para chegar é preciso muita coisa antes e nós estamos na estaca zero.

O plano agora é a gente juntar dinheiro – pq né -, ele começar o  francês e eu reforçar o meu. Eu quero fazer a prova do TOEFL just in case e ele quer entrar nessa tambem.

Nesse momento Quebec parece nada mais que um sonho muito distante que as vezes eu tenho dúvida se vai chegar a ser real ou não. Essa burocracia e demoras do Consulado que todos relatam realmente me faz pensar duas vezes. Imagina eu ficar, sei la, 4 anos nisso e depois não ir? ai eu morro né  x_X

Não quero nem pensar nisso! Prefiro acreditar que nós temos mais que capacidade para sermos escolhidos para ir pra Quebec e que o processo já vai estar mais ~desenrolado~ até a gente dar inicio nele. A esperança é a ultima que morre…   =)

Ass: Ela.