What a waste!

Ando meio sumida aqui do blog pq estava sendo consumida pelo semestre escolar! Mas estou com mais presença no facebook porque lá as postagens são mais rápidas e curtas ^^ E agora que estou entre ultimas aulas e semanas de provas da pra passar aqui rapidin!

O Canada é um país rico e eu percebo isso every now and then com as atitudes das pessoas. Dai que tenho me incomodado com o desperdício que vejo aqui de varias formas. Comom aqui de forma geral todo mundo meio que tem acesso as mesmas coisas (não é o abismo que temos no Brasil e outros países) acho que isso faz com que eles não tenho consciência do desperdício. Claro que aqui é meio dividido. É mais fácil achar aqui produtos eco-friendly e reciclados sem contar a coleta seletiva que faz parte do dia a dia aqui (alias fico mo perdida aqui onde jogar meu lixo). Por exemplo todas as minhas salas de aula tem 2 latas de lixo: um pra lixo normal e outra pra reciclados. E é a mesma coisa  nas casas. E tem um dia pra coleta do lixo reciclável e outra pro lixo não reciclável. E claro em outras partes como o metro tem os 4 lixinhos. E o site do colégio até estimula o carpoolling (dar carona e assim ter menos carro na rua). Você se inscreve pra oferecer ou pedir. Olhando assim parece tudo muito bonito. Mas olhando mais de perto…

comidinhas

comidinhas

Como já comentei antes eu tenho uma aula no restaurante no qual nós servimos e o povo de culinária cozinha. E toda vez eles preparam um de cada prato do menu pra gente. Dai a gente ve como a cara de cada prato e eles explicam o que que tem em cada um. Depois a gente pode comer! Shhhhhhh! Mas a gente pode rss Dai que o que a gente não come vai pro lixo. Fico triste toda vez. Porque não é só uma vez, é toda semana pra mim. E todo dia de fato (acho que não segunda porque o restaurante ta fechado rs) porque mesmo quando eu não esotu la tem outro groupo tendo essa aula. E tambem tem de noite. Então no mínimo duas vezes por dia eles jogam comida no lixo sem motivo. Falando em restaurante as vezes eu olho a porção gigante daqui que não tem como comer tudo. Outra forma de desperdício. Se fosse porções mais razoáveis não teria todo esse desperdício U_U

Pra completar minha aula de restaurante eu tambem tenho aula de bar. A gente aprende a fazer drinks. Só que entre economizar dinheiro e alunos + bebido = não é uma boa ideia a gente faz os drinks com água mesmo que eles colocam corante pra fingir que é de verdade. As alcolicas são de mentira, mas o suco, grenadine, limão, cereja, creme de leite, sal e açucar etc é tudo de verdade. Eu to tão revoltada com essa aula que nem sei por onde começar. Primeiro que eu não acho uma aula necessaria. Segundo que é um desperdício sem fim!!! D: Caixas e caixas de sujo sendo jogas no ralo assim de graça! Limões e cerejas e azeitonas e leite e sei la mais o que sendo jogadas no lixo toda vez! E mesmo o professor – que tem o álcool de verdade – não vai beber ne! Nem deixar beber. Então advinha! Joga no ralo! Eu fico com dó de fazer os drinks os que eu não lembro eu não faço. E depois eu me toquei que eh um desperdício de água tambem!!! Água. Um recurso tão importante que fica cada vez mais raro, cada vez mais poluído e a gente aqui jogando fora duas vezes por semana. Isso o meu grupo, porque essa aula deve ter uns 3 grupos tambem duas vezes por semana.

verdade  e mentira

verdade e mentira

sala da aula de bar

sala da aula de bar

Ele quer ensinar pra gente “ser preguiçoso, mas eficiente” que é basicamente trazer um monte de uma vez em vez de fazer varias viagens. Legal. O caso é que isso se aplica mais a um dia de trabalho no qual você vai fazer de fato vários e vários drinks  repetidas vezes. Mas nem tanto em aula onde vamos fazer tipo um de cada. Dai acho que ninguém colocou a tal da cereja no seu bar e todo mundo foi pegar na mesa. Dai ele falou pra pegar um monte de uma vez. E, quem diria, foi o único drink que a gente precisou de cereja! Mas e no final da aula? Claro, joga no lixo! Eu comecei a falar pra ele que tudo aquilo era um desperdício. Que não tem necessidade de joga tudo no lixo (ou de fazer a gente pegar um monte). Falei e falo mesmo. Ele fez muito pouco caso. Respondeu qualquer coisa no inicio e acho que me deixou falando sozinha depois hahahha E for fim uma das minhas colegas de classe (meio princesinha diga-se de passagem) veio me dizer “e como é que a gente vai aprender?” Dai eu falei de prioridades e de que tem lugares no mundo que daria tudo que tem pra ter acesso a isso. Se você tiver noção do mundo la fora você não ia falar isso. Tanto lugar no mundo que as pessoas mal tem acesso a comida. Eu me recuso a ficar jogando tudo no lixo. Não pego e não vou pegar um milhão de cerejas pra usar duas. U_U

E outra  o pessoal tem paranoia com água de garrafa que você bebeu e nao terminou. Sempre jogam fora e enchem de novo. Eu sempre completo. Nunca entendi o que poderia ter acontecido com uma garrafa que ficou fechada de um dia pro outro que deixou ~imbebível~.

Enfim!

To reclamona e cansada. Esse semestre foi e esta sendo pesado. Não vejo a hora que ele acabe!

Ela

Anúncios

Estudar em Montreal é….

Estou começando meu terceiro semestre e curtindo muito o curso. E agora acho que ja posso fazer comentários.

Estudar em Montreal é:

  • ter professores super rígidos com horário – sim, alguns vão te proibir de entrar depois da hora. Outros são super legais e te dão 5 minutos! E uma foi muito legal e disse “ah tudo bem tem dia que as coisas dão errado e a gente se  atrasa. Então se você chegar 8 minutos ta tudo bem” hahaha pra mim é irônico porque estamos acostumados com 10 ou 15 min e ninguem conta no relógio então… Teve uma menina no primeiro semestre que se atrasava pra primeira aula todo dia. Ela perdeu mt aula. Por outro lado o único prof de exceção ele não podia se importar menos. Desde que você não perturbe a aula e entre em silencio tá tudo bem.
  • ter colegas de classe (e eventualmente amigos) de toda parte do mundo – no primeiro semestre pelo menos 10 dos 30 era da china ^^ dai um do Marrocos, Coreia, Venezuela, França, Pérsia. Mas claro tambem tem gente que nasceu aqui. Só que eles não parecem maioria rss (Talvez porque seja o LaSalle…)
  • ter professores com sotaque –  assim como você e os outros alunos muitos professores não são daqui e ainda carregam um sotaque que pode ser muito forte. O que é um desafio.
  • ter horários e buracos no horário muito louco! – as vezes rola de ter um intervalo de 4 horas! Mas tambem tive dia das 8h as 18h só com intervalos de 10 min. Cada dia é uma dia…
  • ter que ler Shakespeare – sempre percebi nos filmes que ler Shakespeare aqui (na america do norte) é tão básico quanto saber o alfabeto. E esse semestre terei de lê-lo >__< Que eu fique fluente no old english lol
  • ter professores preparados – eu tenho a sensação que muitos (porem não todos) dos meus profs são muuuito bem preparados pra dar aula. Eles não são apenas pessoas que trabalham com aquilo, mas geralmente são cabeças. Veja bem, eu estou estudando Gerenciamento Hoteleiro. Um dos profs viajou treinando novos funcionários de cada novo Sheraton da região (tipo Europa/Oriente Médio se não me engano), a outra é Geral Manager de um hotel. A outra é trabalhou com consultoria por anos e agora ela tem uma empresa de consultoria. O outro é gerente de um restaurante gigante!
  • ter um colégio com aulas praticas –  tá, pode ser que no Brasil tambem tenha aulas praticas, mas de forma geral era tudo muito teorico em sala. OBS: fiz senac onde eles se dizem ser praticos. Bom, aqui minha aula de Alimentos & Bebidas é de fato num restaurante servindo cliente. Aula de contabilidade com um sistema de contabilidade pra postar vendas, compras, despesas e todo esse mimimi como fazem numa empresa e fato. Assim como Lodging a gente teve o sistema (que é o mesmo no hotel da prof) pra fazer reservas check in e check out. E ainda vou ter uma aula em um bar (cada aluno tem o seu e a bebida é agua colorida! hahaha so o prof tem alcool mesmo ^^)
  • ter agenda escolar que começa em agosto e termina em julho – eu acho muito estranho, mas como o ano escolar daqui começa agora nesse período (fim de agosto inicio de setembro) as agendas seguem o mesmo padrão. Daí o primeiro mes da agenda é agosto xD Bizarro.
  • ter aula com o quadro digital – nunca tinha visto na vida, mas é um misto de ~lousa~ e projetor. Só tive uma aula ate agora com o coisa ligado, mas aparentemente você pode fazer um monte de coisa. Mas só vi como projetor mesmo. (foi dificil achar um video, então vai esse mesmo. clique aqui. da pra ter uma ideia).

Bom, esses são algumas das coisas que notei aqui. Talvez eu esteja meio ultrapassada nos meus conceitos sobre o Brasil ou talvez seja do jeito que eu lembro. De qualquer forma eu gosto, curto e me dedico muito (mais do que nunca na vida) aos estudos aqui.

Ela

Pra quem ta começando do zero

Essa semana 2 pessoas me procuraram pra saber aqui do Canada. Uma tem a intenção de imigrar e a outra parecia mais interessada em fazer um curso. Então, resolvi fazer um post pros novatos e passar o básico do básico.

Caso 1 – quero estudar aí. #comofaz

No caso a pessoa não estava interessada em intercambio, mas um curso mesmo. Pois bem, independente de onde você for estudar você vai precisar de documentos! Sim, é preciso visto para entrar no Canada (seja de turismo, trabalho ou estudo). Se for um curso de mais de 6 meses você precisa da uma permissão de estudos (que não é a mesma coisa que o visto). E trabalhar aqui você tambem precisa de uma permissão de trabalho. Só que se você pegar a lei nova de junho 2014 com a permissão de estudo você poderá trabalhar dentro e fora do compus! *todos comemora*. Mas se você estiver aqui a trabalho (não sei como faz, sorry) você ainda tem que tirar a permissão de trabalho. Mas como Quebec é cheio dos mimimi pra vir para esta linda província você precisa do CAQ (certificado de aceitação do Quebec)! E você precisará dele para tirar a permissão de estudo. Não preciso dizer que você precisa de um passaporte, né?!

Mas antes de dar entrada nos documentos você precisa escolher que escola você vai. Se for intercambio as agencias estão ai pra isso (EF, STB, Canada Travel, CI etc). Se não quiser fazer por agencia você pode ir nos sites e pesquisar escolas ;). Se você quer fazer outro curso… Ai muda muita coisa. Mas não se preocupe a internet está aí pra isso e o povo daqui é muito simpático e vai responder teu email o/ Então pesquise e pesquise, se alguma escola parecer legal e dentro do que você quer mande um email e tire suas duvidas!! Muitos sites terão uma parte estudante internacional com informações especificas pra quem não é daqui, aka, eu e você. E tem site que até divulga valores!! Aviso logo que vai ser caro, tipo, caaaaaaaaaaro! E você não pode esquecer do custo de vida que foi a proxima pergunta que me fizeram.

Daí que eu não sabia como responder então dei valores de coisas aleatorias, tipo:

  • da pra comprar um combo no McDonalds por menos de 10$
  • um restaurante decente fica por volta de 30$
  • o cinema é tipo 12$
  • celular com internet fica 40 ou 50 $ pra cima. Planos mais básicos ficam a partir de 25 ou 30$
  • um apê no centro de Montreal 1 quarto fica por volta de 900$ mensais ou mais. Água, luz, aquecimento pode estar incluso, depende do prédio. Eu por exemplo alugo um quarto no centro por 400$ tudo incluso, até internet u_u
  • o passe mensal do metro ta quase 80$
  • o salario minimo esta em 10 dolares e quebrados a hora. Aqui é comum que te contratem para trabalhar só por algumas horas em dias aleatórios. exemplo: bar ou restaurante te chamar só quinta sexta e sábado (dias de movimento) por 4 horas (exemplo mesmo. da minha cabeça).

Todos os valores são apenas de Montreal. Outras cidades outros valores.

Os colégios provavelmente vão pedir idioma. Provavelmente um TOEFL com pontuação minima (não se se é por curso), mas o meu college aceitou meu curso de ingles daqui e sem contar que eu fiz um nivelamento antes das aulas começarem. E eu tenho um primo que está tentando estudar nos EUA e não passou no TOEFL, mas parece que eles pediram pra ele fazer a prova deles (do próprio colegio). Então veja que rola um interesse e que eles querem te ajudar sim! 😉 Daí tendo todos os documentos você se inscreve, eles te dão uma carta, você usa a carta pro CAQ (se você vier para a província do Quebec, se não pule essa etapa), daí você usa o CAQ (se for o caso) e a carta do colégio para a permissão de estudo, tire o visto e faça as malas! Ah procure onde morar e tal rs

Caso 2 – quero ir pra trabalhar #comofaz

Esse caso é mais complicado porque eu tenho quase certeza que é preciso vir com vaga garantida e tudo depende da sua profissão. Em todo caso acho valido ir no Work in Canada.ca e da uma olhada ou no Emploi Quebec se você esta de olha nessa província. Ja ouvi que esses sites tem os restos das vagas, mas não deixa de ser um inicio. Em todo caso você pode acabar descobrindo empresas e dai você entra em contato com elas. Infelizmente não sei mais que isso. Vir a trabalho me parece tão ou mais complicado que imigrar. Digo isso porque para trazer alguem de fora eles tem que ta precisando mesmo. Tipo, MESMO. porque eles tem que provar pro governo que não tem gente aqui para fazer o serviço. E se pra gente que ja esta aqui e ja trabalha na empresa ja ouvi de não consegui usar a empresa pra imigrar (eles tambem tem que provar. no caso a empresa tentou uma vez pra alguem e falhou e passou a recusar o pedido) que dirá estando noutro país sem nunca ter visto mais gordo. Não quero desanimar ninguem, mas isso é o que eu sei.

Fora isso as info de cima se aplicam.

Melhor do que ler meu bloguinho (muito obrigada pela visita by the way) é pesquisar o CIC. Lá eles tem dentro da aba Immigration os tópicos Study e Work. Escolha seu caso, leia, tire muitas das suas duvidas, arrume duvidas novas e leia mais. Eles tem paginas e mais paginas de requisitos, quanto tempo demora, valores das taxas, como fazer o que fazer e tal. A minha dica pra quem quer estudar é fazer tudo com muitíssima antecedência, quero dizer, com mais de 6 meses de antecedência do inicio das aulas. Eles tem prazos do tipo ‘se inscreva até 1 de março para estudar em setembro’. E como você não é daqui e você de mais documentos e traduzir documentos você obviamente precisa de mais tempo. Ah, claro, respeite os prazos, aqui não é brasil.

Não sou expert só tenho a minha própria experiencia. Espero ter iluminado alguem =D

Curta QUEBEcLEZA! no facebook! Comecei a atualizar mais a pagina e a postar mais. Alem de atualização dos posts do blog na pagina você tambem encontra fotos, comentários e piadas da terra do gelo 😉 Fique por dentro das piadas de inverno primavera lol

Ela

Estudante por um dia num college

Resolvi participar do Student for a day/ étudiant d’un jour num college. E foi interessante!

Primeiro que sobrevivi ao french-english daqui. Por mais que ja tenha visto antes nunca fiquei nessa o dia todo rss Por um lado foi meio chato porque quando você entende os dois (ebaaa que consigo acompanhar!!! =D ) fica repetitivo… Por outro, como eu disse foi a primeira vez que eu passei por um dia de french-english-ismo (to inventando palavra ja rsss), e aconteceu de alguem se empolgar num das linguas e esquecer de traduzir e quando lembra fazia um resumo. Entao, é melhor entender os dois mesmo u_u

Então vamos ao programa do dia. Foi de 9h as 14h30 (com atraso virou 15h) no proprio College. Tinha um grupo legal. Dai a gente se separou por area de interesse: hotelaria , turismo restaurante (eu, eu, eu!) ;  moda; tecnologia da informação; educação pra crianças etc. Depois os coordenadores, professores, responsaveis de cada area levou o grupo pra uma salinha e foi falar do curso e tirar algumas duvidas. Rolou a enquete de quem fala ingles quem fala frances antes de começar, claro. E continuamos do french-english… Dai perguntaram quem quer fazer o que mais precisamente (turismo, hotel ou chef). E eu era a unica que não mora aqui (no sentido de que eu não immigrei, nem cresci aqui). De forma geral todo mundo saindo do high school e umas 3 pessoas mais velhas. Ah e eu , no meio, nem la nem ca rsss

Depois de mais ou menos uma hora disso tivemos uma pausa de 15 minutos e fomos pra outra sala, com outro professor. Pelo o que eu entendi era um ateliê, mas sei la o que isso significa nesse contexto…. Ele falou de vinhos, 5 sentidos (mais do olfato e paladar) foi bem legal. Tambem durou uma hora. Depois almoço! Sim eles deram um almoço pra gente. Dai eu comecei a conversar com umas 3 pessoas e depois um professor sentou a mesa e dominou a conversa. Ele é grego! E os outros pretendentes a estudante eram de background italiano, marroquino, chines. um menino que veio de NY e por assim vai… na metade final do almoço tinham o pessoal que faz a admissão tirando duvidas lá. Depois fomos pra uma similação de aula de 45 minutos. Foi mt legal. Ela fez a gente interagir porque a ideia deles é mãos na massa (hands-on). E por fim fizemos um tour com o professor do almoço.  Foi o tour mais fora de ordem ever! Começamos de baixo, fomos pro 4 andar, descemos de escada ate o 3 fomos no 6, depois no 8, depois o 2 (que foi onde começou o student for a day) depois no andar que a gente começou tour. Fez sentido pra você? Pra mim não…

Ah vou aproveitar pra fazer que fui no portas abertas (open house/ portes ouvertes) do ITHQ (instituto de turismo e hotelaria do Quebec) e foi mais rápido e mais organizado. Você tem que se inscrever (bom, no outro tb) e dai você vai no horario marcado e tinha um grupo la naquele mesmo horario – parece. Dai uma aluna guiou a gente- de cima pra baixo- e foi falando coisas sobre os cursos e o colégio. Dessa vez tava só em francês. E no fim tinha tipo uns stands com os responsaveis dos cursos pra tirar duvidas. Durou tipo uma hora tudo.

Achei valido…

Ela.

A escola – parte 2 Montreal

Continuando o assunto  colégio….

Eu comentei do colégio de Toronto no post anterior. E tambem tem a EF em Vancouver de quando eu fui em 2008 e não comentei aqui ainda. Mas essas duas se parecem bastante e eu recomendo as duas.

Aqui a escola onde estou estudando (na verdade estava – eu vim num programa de estudo + trabalho e agora to correndo atrás da segunda parte rss, mas isso é outro assunto…) se chama ALI – Academie Linguistique Internationale. Antes de vir eu vi nos por aí da internet que é um bom colégio. Já discordo ai. Não acho um bom colégio. Mas todo mundo diz que é o mais barato (pelo menos daqui de Montreal). Mas não to dizendo que é um colégio péssimo, tambem não é assim. Só que esse é o meu terceiro colégio de intercambio e eu curti mais os outros 2 (que citei ali em cima)…

Pontos Positivos!

  • É bem localizado. Perto do metro (tanto da linha verde como da laranja) e perto do lado bão da St Catherine (rua de todas as lojas).
  • Eles ensinam inglês e francês e você pode mudar de lado (nãoo tempo todo, mas pode rs)
  • Acesso livre aos computadores (bom, pra quem não tem muito como se comunicar com a familia)
  • Os profs de francês são em sua grande maioria da França (pra mim isso é positivo porque é o francês standard)

Pontos Negativos!

  • As aulas tem um ritmo chato #prontofalei Parece colégio com provinha toda semana e se você não der sorte com o prof a aula é chatinha mesmo.
  • Cada nível dura um mês e são 8 no total (vou falar disso mais pra frente)
  • Eu achei os livros carinhos (eles são pra 2 meses) e talvez mal utilizados (eles dão mt papel de complemento as vezes – po se o livro é ruim então troca né)
  • Banheiros. Esse ponto pode parecer besta e não tem nada a ver com a aula, mas pra um andar inteiro de estudantes só tem um banheiro apertado com 2 cabines. Mijar é preciso!

O que eu posso dizer é que eu já ouvi de outras pessoas que eles tambem não curtem a ALI. Eu particularmente não gosto do método deles de um nivel um mês. Eu acho que em 8 meses não da pra aprender uma língua. Eu sei que o fato de estar na cidade “cercado” pela lingua ajuda e muito (só que Montreal é bilíngue e é moleza escorregar pro inglês. Falo por experiencia) mas se alguém aprender bem francês com eles do nível 1 ao 8 é muitíssimo mais mérito da pessoa do que da escola.

Com parando as 3 (SOL de Toronto, EF de Vancouver e ALI de Montreal) o ritmo da aula era mais dinâmico e interessante na SOL e na EF. As duas tinham um ambiente agradável. Gostei muito dos professores e adorava que junto com o inglês eles acabavam te ensinando tambem a cultura. No meu ultimo mês lá eu aprendi a falar “treco”, “coisa”, “budega” =) Eu acho isso legal porque a estrutura da lingua você pode aprender no Brasil num cursinho que da no mesmo. Eu acho que o colégio aqui tem que te dar um plus, algo que eu não conseguiria ter no Brasil. Claro que a gramatica eles dão, mas eu treinei pronuncia, tentei falar trava língua, aprendi vocabulário e alguma coisas da cidade, da vida aqui. Pra mim super valeu! E tanto na SOL como na EF você fica no nível até a prof sentir uma melhora (mas você pode pedir pra mudar tambem). Na ALI eu acho tudo mundo grande e distante. Primeiro porque é prédio tem a recepção, refeitorio e computadores no primeiro andar e as salas no 8 (ou no 4). Depois que tem muito brasileiro! E muito venezuelano! E de forma geral muito latino! Impossível não escutar espanhol e português. Quase não vi gente de outras nacionalidades e quando vi eles geralmente estava no lado do ingles. Ah e essa coisa de lado! Eles dividiram um lado do andar pra inglês e outro pra francês e o horário é feito pra esses dois grupo não se encontrarem! E por algum motivo eu achei que os próprios alunos ficam em grupinhos…. Meh não curti.

Depois que eles dividem as aulas em habilidades, gramatica e conversação. Eu não sei de que serve habilidades ate hoje. Gramatica é importante porque Francês é uma língua chatinha latina que nem o português e os verbos me matam – ou melhor, eu quero matá-los! E conversação é teoricamente pra fazer a gente falar e usar o que a gente viu em gramatica. Tirando um prof que foi excelente e olha que eu tive ele em gramatica, ou outros eu achei mais ou menos. E tambem teve um prof de conversação que eu gostei. Mas é o tipo de aula que de forma geral você quer faltar. E esse esquema escola, provinha, recreio, passar de ano é mo desanimo. Mas a gente leva. O curioso é que foi na ALI onde eu vi muitos casais e pessoas que estão mesmo interessada em imigrar isso se já não estão no processo. E tambem achei a faixa etária um pouco mais alta. Diria que muitos entre 20 e 30 e quando apareceu alguem de 17 era meio que o bebe da turma. Ja na SOL eu acho que a média de idade era mais pra 20 e poucos e na época que eu tava na EF em 2008 era muitos adolecentes, 16, 17, 18, 19. E os europeus que tinham lá seus 25 ficavam sendo os mais velhos.

Uma coisa que eu acho é que na ALI a parte de inglês tem mais curso, mais produtos. Alem do curso normal eles tem preparatorio pra TOEFL e outro pra IELTS, eles tem aulas de business, hot topics (assuntos da moda como conversação), movie, TKT (curso para prof de ingles como segunda lingua e UCP (University and College Preparation – prepratoria de 2 meses pra vida universitçaria, como fazer essays e escrita, leitura, pesquisa nos padrões daqui), bible class (alguma coisa com o texto da bíblia e religião. Não é obrigatório e é depois do horário de aula) e sei la mais o que que eu não vi.

No lado do francês você pode escolher somente nos níveis 5 e 6 entre DELF e français des affaires e ainda assim eu achei mais ou menos. Eu acho que o TOEFL é levado bem mais a sério e o francês de negócios é basicamente voltado pra currículo e entrevista e até agora não achei que foi util de verdade. Sei la…. Eu fiquei com a impressão que as aulas no lado do ingles são mais divertidas, mais dinamicas, mais variadas… Não posso falar do curso normal, mas eu fiz um mes de TKT e eu acho que foi muito mais valido do que meus 3 meses de francês. Mas quando eu cheguei no nivel 7 eles mudaram o ritmo e deram um livro pra gente ler (Stupeur et Tramblent, curti =D ) e conversação ficou em projetos de coisas pra apresentar e eu nem achei chato xD e a primeira aula, habilidades, continua sendo um mistério…

Enfim eu to de birra com eles porque eu esperava mais, ainda mais porque me disseram que era um bom colégio… Em infra-estrutura sim (menos os banheiros!), mas em aula e progressão…. eu não percebi ainda a minha progressão…

Moral da historia: se você prefere preço pode vir. Se você prefere qualidade… keep looking.

Ela

A escola – parte 1 Toronto

Gente, estou na metade da viagem e já me sinto no final =( Não quero voltar!! #comofaz

Prosseguindo…

Dei uma sumidinha, mas to aqui. E acabei de me dar conta que nunca falei da escola de Toronto! Então vamos lá!

Em Toronto, eu estudei na International House (nome que me deram na agencia no Brasil) ou SOL School (nome na plaquinha na frente do colégio). É um colégio pequeno comparado com a ALI aqui de Montreal (mas a ALI é muito grande em numero de alunos!). O prédio é uma gracinha meio castelinho. O cara da recepção, o Nick, uma graça e super legal. É ele tambem que faz as atividades com o povo. A entrada, tipo, o lobby é meio pequeno, mas por um lado isso é bom porque isso acaba de obrigando a conhecer todo mundo. E tem gente do mundo todo! Conheci em 4 semanas muitos coreanos (uns fofos!), alguns latinos (mexicano, venezuelano etc), alemães, suíços, franceses, japonês, etc. Na época que eu fui (abril) não achei que tinha tanto br assim.  Vai ver dei sorte…

A escola se divide em 8 níveis. Eu fiquei 2 semanas no nível 7 e 2 no 8. A aula tinha atividades diferentes e que acabavam por te dar um pouco da cultura daqui. Vi a prof parar um pouco a aula pra cuidar da pronunciação (th sempre é um problema…) e sexta a gente brincava. Mas péra! Em inglês! Brincadeiras de argumentar ou de lembrar palavras com uma determinada letra etc. E eu adorei o nivel 8. Porque teoricamente você já é boladão se você está nesse nível. Então ele não dava gramatica de verdade, mas ele revia uns pontos aqui e ali. E dava muito, mas muito, mas muito vocabulário. Todo texto que a gente lia ele perguntava primeiro as palavras que a gente não sabia e anotava no quadro depois ia uma por uma antes de falar do texto em si. E a gente assistia filme tambem. Daí a gente tambem podia anotar palavras que a gente não sabia. E depois tinha que fazer tipo um essay sobre o filme. Depois ele escolhia 2 da turma e copiava pra gente editar (corrigir) o trabalho um do outro. Quando ele dava o vocabulário da semana (e as vezes outro topico tambem) ele pedia pra gente escrever uma frase errada de proposito. Era uma boa forma da gente colocar as nossas duvidas de erros, se pode isso e aquilo, se usa assim mesmo. Tenho otimas lembranças!

O colégio tambem fazia uma graduação toda sexta pros que estando indo embora. Dai na hora do almoço a gente ia la fora e via os colegas que estando indo embora recebendo o certificado. Super momento confraternização. Eu achei o ambiente lá muito leve, muito amigável, muito descontraído.

Eles oferecem casa estudantil alem da casa de familia. A residencia estudantil fica literalmente em frente ao colégio. Se você atravessar a rua reto chegou! Mo vida boa. Eu não disser se a localização é boa… É um cadin longe do metro, mas ta tipo perto da agitação.

Moral da historia: eu recomendo a SOL Schools =)

Ela.