Não existe paraiso – um pouco da vida e das dificuldades de viver aqui

O bloguinho vai ficando abandonado… Mas ele não morreu!

Outro dia perguntaram num grupo no facebook quais as dificildades que a gente ainda encontra depois aque chega aqui ou menos depois de anos aqui. Muita gente ainda acha que aqui é o paraiso e que depois que o visto sai os problemas acabaram. Bom, choveu respostas e depois eu vi que virou assunto no Montreal na real com o nome de Dark side da imigraçao. O audio é bem longo então fui ouvindo picadinho durante a semana e eu gostaria de dar meu ver no asssunto tambem. Eles falaram de muitas coisas pertinetes e me fez pensar (só nao pensei mais pq as coisas estam tensas no meu dia-a-dia rs).

Acho que medo do inverno e saudade da familia é a primeira coisa que todo mundo pensa. Mas o que a galera mais sente, pelo menos de acordo com o que eu vi no post e com o Montreal na Real é o idioma, integraçao, idioma, trabalho, idioma. Sim eu falei idioma 3 vezes porque é o que pesa. Realmente nao saber se expressar é frustante e a razao pela qual eu nao sou mais fluente em frances depois de quase 3 anos aqui. Montreal é bem bilingue, no sentido que quase sempre consigo ser atendida em ingles em diversas situacoes, que para evitar a frustracao e o bloqueio do frances, eu acabo sempre caindo no ingles. My bad. Mas não recomendo. Vindo para o Quebec quero reforcar que é essencial o frances. Eu me viro bem porque meu listening nao esta ruim e eu consigo acompanhar o que esta acontecem mesmo que eu perca pedaco das frases. Na verdade, apesar de nao me sentir segura para falar frances, em diversas situaçoes eu percebi que estou acima da media de mt gente que chega aqui quando se trata de entender. Por outro lado, estou bem abaixo quando se trata de sair falando sem medo de tentar. E no ingles eu me sinto confortavel e me viro bem.

O que eu sinto mais mesmo é a questao de nao pertencer, nao entender, nao saber das coisas daqui. Depois que arrumei um TV eu ainda continuo nos canais em ingles porque eles fazem sentido pra mim (ate porque tem parte da programacao america como algumas series que eu gosto). Nos canais em frances eu não sei quem eles são, nao sei direito do que eles estao falando, as piadas fazem sentido e é um esforco muito maior a ser feito para poder acompanhar. Até meu namorado que é daqui não curte rss ai fica dificil ne xD Mas eu estava me sentindo muito isolada no fim do ano passado. Ainda nao sinto que fiz amigos aqui, daqui que ficaram aqui. Depois do meu primeiro ano eu decide que evitaram me apegar a pessoas que vao embora. Cansei de dar tchau e ficar pra tras. Fiz muito isso no primeiro ano quando estava de intercambio. Muita gente vem pra ca e fica 1, 2 , 3 meses e vai embora, os que ficam mais ficam 6 e eu que fica ficar 10 meses estou aqui ate hoje. No fim daquele ano eu nao tinha mais amigos. Foi triste foi chato. Foi uma galera que me fez falta. Depois eu comecei o college e eu sabia que teria aquelas pessoas por pelo menos 3 anos. Mas ja no inicio do ano passado eu ja comecei a perceber que nem todo mundo quer ficar. Tem gente que se forma e vai embora, volta pra casa ou quer ir pra outra cidade ou pais. Comecei a sentir que Montreal é uma cidade transitoria. Quem anda no meio de estudantes sabe que é um publico que se forma e vai embora. Tem gente de cidades vizinhas ou de outras provincias que so vem aqui para estudar mesmo e volta depois do curso. E mesmo dentro do meu curso eu sinto que falo com todo mundo e todos os grupos, mas não pertenço a nenhum. E no fim as pessoas com quem saio sao brasileiros… Moral da historia, acreditei que college fosse me dar oportunidade para fazer amigos, mas na realidade nao foi bem assim. Mas fiz bastante conhecidos.

Outras coisa que pesa é nao saber como as coisas funcionam aqui. Ao contrario de quem chega imigrante e tem que resolver tudo ao mesmo tempo e rola um overdose de coisas a serem feitas  + entender a cidade, eu pude ir com calma nesse aprendizado. E mais, meu curso me deu muita informaçao util pra quem nao é daqui. Por exemplo, eu tive uma aula de segurança no trabalho que me apresentou o CSST e como funciona. Ou seja, qualquer acidente de trabalho que aconteça o CSST cobre, se você precisar se ausentar do trablho por isso explicaram como eles calculam o salario etc etc. Posso nao saber tudo de cor, mas ja sei onde ir pra perguntar. Minha aulda de RH falou de curriculo dos e donts e cover letter mas isso voce acha na internet. Falamos sobre perguntas ilegais que você podde recusar a responder porque não sao pertinentes ao cargo ou que podem ser descriminatoria. Falamos das unions que sao como sindicatos e que tem um peso enorme aqui. Elas fazem contratos com as empresas em nome dos funcionarios (qualquer cargo de supervior pra cima nao esta coberto) determinando TUDO, carga horaria maxima, carga de trabalho, como promover alguem, direitos etc etc. E isso vai pesar qnd voce quer ser promovido. Pois a union sempre da prioridade pra quem temmais tempo de empresa. Ou seja, fulano pode nao ser muito bom ou o mais competente para ser promovido, mas ele tem 20 anos de empresa e quando tiver uma oportunidade de promocao ele sera a primeira opcao. Esses agreements mudam de empresa pra empresa mas essa da senority é cliche. Logo, sabendo disso ja sei que as promocoes vao demorar, na hora de fazer horario o ulltimo que chegafica com menos horas, quem tem senority pode escolher dias de folga, os horarios etc etc. Ja não vou ficar surpresa com isso. Tambem tive aula de law que eu uma geral muito boa em varios assuntos. Sei que contrato verbal aqui tambem conta, que contratos podem ser cancelados se você provar que você foi forçado ou intimidado a assinar (por examplo, com uma arma na cabeca), que contrato de aluguel de casa renova automaticamente, que video nao conta como testamento em caso de morte (historia engracada), que se não casar, mesmo depois de 40 anos juntos, o conjuge nao tem direito aos bens depois da morte do outro conjuge.

Outra aula que me ajudou muito eh a da frances esse ano. Eles dividiu as regioes do Quebec e cada um tinha que apresentar pra turma. Quem diria, tem 21 regioes dentro do Quebec! Pelo menos ganhei uma nocao da provincia como um todo. Mas o que me falta mesmo é entender as divisoes de Montreal e redondesas… Falam muito da West Island (que eh pra onde tem o aeroporto), South Shore (que pelo o que eu entendi é fora de MTL, Brossard etc depois do ponte rs) e volta e meia falam um lugar e eu fico… ah ta…… (????) E é esquisito porque nas aulas é tudo muito local e nem sempre os exemplos dos profs fazem sentido pra mim. Tem empresa que eu nao conheco. É tipo eles dando falando da Mesbla (quem lembra ?  rsssss). Sinceramente eu ouvi muito dessa loja quando eu era crianca, nem sei se cheguei a entrar nela, ela faliu. Mas se alguem falar dela acho que nao ia ficar tao perdida. Ou mesmo usar a Varig como exemplo. Enfim, eu fico por fora. Isso éporque eu ainda nao tive ue falar de celebridades canadenses hahaha. Quebecois entao…..

Do meu ponto de vista, o inverno é o de menos. É frio, mas só na rua e quando eu entro eu ate esqueço. O que pesa mais pra mim é o dia curto e a falta de sol. Dezembro aqui ficou dias sem fim nublado e cara de chuva. O dia super curto com o por do sol pelas 16h e o pouco e luz solar que a gente podia ter ficou coberto por nuvem. Isso semana a pos semana comecou a me incomodar. Acho que posso ousar dizer que prefiro -30C ao fresquinho que tava porem nublado. Me de sol, mesmo que com o frio. Entranos no horario de verao no fds passado e eu adoro (mesmo tendo sido uma transicao dificil fiquei com os horarios tudo trocado). Literalmente de um dia pro outro o sol se poe depois das 18h =D

Quanto a preconceito por ser imigrante eu ja senti uma leve vibe numa entrevista de emprego. Foi e nao foi preconceito. Eu tive a sensacao que minha experiencia fora não conta. Eu ja trabalhei em hotel e a pergunta dela foi assim “entao voce nao tem nenhuma experiencia em hoteis….. em montreal” e isso me incomodou pq me deu a sensacao que se nao for aqui nao conta. Mas se todo mundo for pensar assim como é que se consegue a experiencia aqui???? ora bolas! U_U e outra que me incomoda muito é quando meu namorado diz que “é coisa de imigrate”. La estava eu linda olhando floquinhos de neve de perto tão lindinhos e ele me disse “ça fait tellement immigrant” (ah isso é tao imigrante) eu nao acho que ele fala por mal, acho que faz mais pra implicar mesmo, mas mesmo assim… De forma geral eu acho que os quebecois são bem tranquilos com imigrantes. Na verdade eu acho que são os outros imigrantes que trazem seus preconceitos, assim como nos trazemos os nossos. Não que os quebecois não tenham preconceitos, mas eu acho que eles ja crescem numa cidade tão multicultural que acho que eles crescem mais receptivos, eu imagino.

Acho que o post ficou muito cheio de ideias soltas em cada paragrafo, mas é que eu tenho um monte de coisa em mente e esta tudo bagunçado rs mas o que eu quero dizer é que aqui não é um paraiso apesar de ter uma qualidade de vida bem melhor. Se você pensa mesmo em vir pra ca foque na lingua. Sem ela você se enrola pra fazer todas as outras coisas. Pesquise bastante! Porque quanto mais voce souber antes de vir mais facil fica quando voce chegar aqui. E saiba que tem umas coisas que são bem pessoas. Umas pessoas se integram melhor, cada um sente falta de uma coisa, uns se sentem em casa mais rapido, uns sentem muito. E se vier e ver que isso nao é pra voce, volte e busque o que te faz feliz. Nao tem pra que ficar infeliz aqui. Canada não é para todo mundo, imigrar não é para todo mundo e ninguem é menos por isso.

Eu adoro o Canada, gosto muito de Montreal, mas tenho meios receios quando algumas politicas do Quebec. E o sistema de saude daqui me assusta. Volta e meia tem umas historias loucas no jonal de pacientes que tiveram problemas. Do nivel que vi uma materia de pessoas cruzando a fronteira pra ir numa clinica em Ontario e falando como o tratamento la é muito melhor. Aqui você espera demais, os medicos fazem pouco caso e parece que eles evitam fazer testes mesmo você precisando ser dianosticado… Nisso outras provincias parecem melhores, sem contar a ausencia do frances 😉

Pra onde eu iria? Não sei…

Ela

Esquecendo o portugues, esquecendo o Rio…

Parece estranho mas é bem verdade. Quando eu ligo pra minha mae eu me vejo buscando palavras ou não sabendo traduzir porque simplesmente não lembro a palavra para aquilo! Não que eu não lembre mais apenas custa a aparecer. E não é por falta de contato com a lingua tambem não. Tenho amigos brasileiro aqui, facebook e conversas online com meus amigos do brasil e daqui. Mas de alguma forma tem coisas que vao se perdendo…

Lembro claramente de um erro basico que cometi no meu intercambio de Vancouver (pra quem não sabe fiquei la 6 meses muitos anos atras bem antes e vir pra ca). Eis que numa conversa de MSN ou qq coisa do genero (#feelingOld) eu escreci “serto”. “Serto”! “S-erto”!!!!!!! Eu sempre tive problema com a escrita (dislexia leve mandou um bj), mas nunca, nunca, nunca (!) tive problema de escrever certo…certo! Eu lembro que passou pela minha cabeca que tinha alguma coisa errada, não achei (!) e deixei pra la ate que a pessoa me chamou atençao e eu prontamente escrevi certo ^^

Com os amigos daqui é de praxe jogar umas palavras em ingles. “vou fazer laundry” é uma frase certa. Sem contar que os anyway, just in case, just saying e outros são expressoes que entram pra vida. Então quando eu falo com a minha mae – que não fala mt ingles – eu traduzo tudo daí minhas frases ficam assim  “depois eu vou fazer.. (????)… lavar (!) roupa”. Pq aqui we do laundry dai eu traduzo o do e fico confusa na minha frase xD. Ou eu vou e escrevo Emperadora…. de Empress. E essas palavras que são iguas mas são diferentes são as piores. Nunca tive problema com essa palavra (ainda) mas é um otimo exemplo: dance, danse, dança. Se fosse outra palavra eu nao ia saber se é com S ou com C mas em alguma lingua vai estar certo xD

E mais! Enquanto eu estava no Brasil eu tinha reflexo de falar em ingles – for no reason! Just reflex! Eu não sou a mestre da linga nem nada (ainda cometo varios erros. pronuncia entao…!), mas meu dia a dia ta em ingles. Minhas aulas são em ingles. Provas, conversas, pesquisas, trabalhos, discussoes em aula… Tudo. Acho que virou habito.

Pode ser que alguem por ai no mundo ache que eu to metida a ~besta pq to morando fora (ainda existe gente assim?), mas quer saber a ironia? Agora que eu voltei eu tenho reflexo de falar portugues aqui O_o E olha que responder em pt é uma coisa que quase nao  me acontece (e ingles no br tb. vem a resposta e ai eu travo e devo ficar com cara de retardada). Mas essa semana a menina achou que eu estava de um lado e eu estava do outro dai eu falei “to aqui” mas ela entendeu pq ela olhou pra mim (hahahaha #joking). É dificil viu. Tem vezes que da um bug no cerebro…

E por fim eu nem lembro mais dos ditados populares direito. Acabei falando “aquele da agua com a pedra…” (agua mole…) #fail. Ainda tem informaçoes de la! Telefone de casa, CEP, conta de banco etc…. D= Socorrr!

Mas e o Rio?

Pois é, to ficando mais e mais turista na minha cidade. Nome de lugares… Ja ouvi falar, onde é que é mesmo? E os onibus que baguncaram tudo!!! Tive que ir pra Tijuca – que eu confesso que nunca andei muito por la e não sei o nome de uma rua. Olhei e estudei no google, dai o metro tem varias saidas e eu nao sabia se tava na certa. E sabe como são as ruas do Rio ne, se torcem e fazem curvas que uma paralela mais pra frente pode ta cortando essa rua (saudade das minhas ruas quadradinhas *-*). Gente, eu olhei no mapa do lado de fora do metro! Sabe aquele enfeite com o mapa que todo mundo ignora, pois bem la estava eu e ainda fiquei me perguntando se estava virando alvo de assalto por mostrar claramente que nao sei pra onde eu vou. Acabei perguntando num carrocinha de comida. A menina me falou pra olhar no celular S2 dai eu disse que não tinha internet =) Acho que eu esqueci de comentar que eu não tenho cel no brasil. Dai nem rola de pedir “socorro, mãe!” ou dizer “fulando to chegando”/”onde vc ta?” #tenso Como era mesmo a vida antes ded celular???

Dai é isso… Estou lentamente esquecendo um pedaço de mim =(

Ela

>>>>Participe da enquete você tambem! >>>>> AQUI.

De Olho no Futuro! 2016 é O ano!

Acho que meu ultimo post ficou meio depre… rs Acontece. Não estava muito animada pra voltar e dizer adeus de novo pra familia e todo aquele sentimento de que você não sabe quando os verá de novo ou se é mesmo uma despedida…

Dramas a parte dessa vez I mean it! Porque esse ano eu me formo! Esse ano eu perco o status de estudante. Esse ano é ano da papelada da imigraçao!! Esse é o ano que todo aqueles planos do PEQ ganham forma e começam a virar realidade. 2016 é O ano!!! Esse é um ano que eu sei como ele começa mas nao sei como ele termina. É um ano de incerteza e oportunidade. É um ano que “tudo pode acontecer”. Ou vai ou racha. É um ano que… quem viver verá!

Esse ano – se Deus quiser!!!! – tem formatura. Ano de ultimo semestre e projeto final com direito a estágio. Ano de preencher formularios e esperar pelo melhor. Ano de renovar passaporte e status. Ano  que eu não sei se rola ver a familia no natal. Ano que pode mudar tudo na minha vida – seja por realizar o sonho ou não. Vai ser um ano de emoçoes – boas, espero eu ! =)

Confesso que foquei tanto em passar em cada semestre que o blog ficou de lado. Faltou tempo, faltou assunto, faltou o que dizer. Estou mais presente na pagina no facebook . A essa altura nao sei se ainda tem gente que acompanha o blog, não sei se ainda existe uma galera de blog. Porque assim como eu parei de escrever aqui eu parei de ler o

s outros. Mas se você por acaso esta ai lendo, manifeste-se! Comente, pergunte, diga! (o app no cel me avisa dai eu respondo 😉 )

E outra, gente! esse ano eu faço 3 anos de canada! =O O tempo passa mesmo…

Ela

>>>>Participe da enquete você tambem! >>>>> AQUI.

Não se pode ter tudo

Esse foi o segundo fim de ano que eu consegui passar com a familia e foi otimo! Precisava ver todo mundo. =)

Vou tentar não deixar esse post mt depre, mas a realidade não foi colorida com passarinhos me acordando de manha.

Esse fim de 2015 pra mim chatinho e eu precisava de pessoas por perto. Mas ainda assim eu fico triste na saida de MTL. Fiquei meio pra baixo sei la. E qnd tive problema com voo e fiquei uns 3 dias alem do planejado tb foi ruim. E agora que estou prestes a voltar fico triste em deixar o Rio. Não pela cidade, mais porque foi otimo rever meus amigos e de quebra revi uma amiga que não via desde da 8 serie ! Vi a exposicao do castelo Ra Tim Bum! Passeio no Aterro com aquela vista maravilhosa e sempre! Ter meu cachorrinho me procurando *_* e amigos pra falar da vida. Natal em familia e o nosso tradicional churrasco do dia primeiro =) Foi muito muito muito bom! Eu precisava dessa dose de amor e carinho. Falar com as primas e primos e as tias e tios e meus queridos avos. Mamae tb sempre mt querida =D

Dai que agora que tenho que fazer as mala pra voltar pro meu inverno (agora que a temperatura aquit a boa poxa) voltar pra escola -_- voltar pra vida de MTL… Eu me sinto voltando pra uma vida sem vida. Aquele dia que fica escuro as 16h =( Não dei sorte de fazer amigos no curso, sem contar com os que nem vao ficar na cidade. Pra 2016 eu quero é me enturmar com quem não tem planos de ir embora! rs

Mas ao mesmo tempo eu olho pro Rio e não é um lugar que eu quero pra mim. Lugar confuso, sujo, barulhento, sem educação, muito transito, muito caro etc etc… Por mim eu levava as pessoas comigo e viveria feliz para sempre no Canada (ou assim eu imagino), mas não se pode ter tudo… =\

Ela

 

When it gets hard

Faz tem que não apareço aqui né! Com provas finais e uma vida pessoal meio bagunçada o blog ficou de lado um pouquinho…

Tudo até aqui estava ótimo. Adoro a cidade (apesar do verão parecer curto e o inverno longo), sou super grata de ter a oportunidade de estar aqui e fazendo o curso que estou fazendo. Muitíssimo. Mas de repente tudo ficou meio bagunçado e eu comecei a perceber tudo de outra forma. Esse vai ser um post de desabafo.

Estou aqui faz tipo um ano e 4 meses e de inicio eu estava de intercambio o que significa que todos meus amigos do ano passado ja voltaram para seus países e eu fiquei. Mas eu estava namorando e tinha alguém aqui. Agora, um ano depois, nós terminamos e eu olhei pros lados e vi que não tinha ninguém. Ninguém pra correr pros braços, ninguém pra ligar e me socorrer. Bateu uma solidão pesada. Admiro DEMAIS quem consegue imigrar sozinho. Quem vem em casal ou família tem um ao outro, mas quem vem sozinho, está sozinho. Skype não é o suficiente quando se quer um abraço. Me voltei pra quem eu descobri que ainda estava aqui do curso de intercambio. O problema é que dessas duas pessoas uma vai embora no máximo dezembro e a outra ainda esta tentando renovar pra ficar. Minha grande meta agora é fugir e quem vai embora. Cansei de amigos com prazo de validade.

Coisas simples como quem é um meu contato de emergência num formulário ta me fazendo analisar minha vida e minha vontade de ficar. Como eu disse eu gosto da cidade, mas não sei se consigo ficar aqui sozinha. Fazer amigos no colégio tá difícil. Ainda ta cedo pra chamar de amigos e dizer que posso contar com eles. Eu acho que se eu criasse raízes e conseguisse formar família aqui (coisa de um futuro longínquo) acho que tudo faria mais sentido. Mas agora nesse momento me sinto uma peça fora do quebra cabeça tentando se encaixar. É fácil ficar aqui quando esta tudo bem, mas quando a coisa aperta é que a gente percebe como tudo isso pode ser difícil. Graças a Deus não foi nada grave, não estou de cama aqui e não tem ninguém de cama lá, mas se esse dia chegar não sei nem o que pensar.

Preciso descobrir como montar uma família aqui, um grupo e apoio, alguém que eu possa contar, alguém pra ser meu contato em caso de emergência, alguém que eu sei que vai me socorrer se eu precisar. Por enquanto eu me pergunto quanto tempo eu aguento nessa solidão. E com tudo isso dentro de mim e da minha cabeça eu já não sei mais se eu tenho estomago pra imigrar (bom um dos motivos desse curso era justamente sentir na pele) e a possibilidade de voltar pro brasil depois do curso está virando uma possibilidade. Uma que eu não quero aceitar. Acho que Montreal poderia ser o meu lugar, não acho mais que minha vida cabe no Rio. Mas ficar longe de todo mundo (e olha que não sou muito apegada) ta se mostrando mais difícil do que eu esperava.

Bom, se esse blog é pra ser como um diário de imigração acho valido postar esses pensamentos. E se você tem conselho pra dar sou toda ouvidos!

Ela.

I S2 MTL

As vezes eu olho a minha volta e fico feliz pelo simples fato de estar aqui. Eu adoro o país e a cidade. Eu tenho tido a sensação de que eu estou no lugar certo. A certeza de que eu quero imigrar só aumenta e se confirma. É aqui que eu quero ficar. Essa qualidade de vida é um encanto. Eu tenho a sensação de que aqui todo mundo tem tempo pra viver. De que outra forma você explicaria parques lotados a tarde?? E as vezes eu sinto que o pessoal é mais saudável em alguns aspectos. Parece que boa parte da população faz atividades física de algum tipo. Ontem eu vi um tiozão mó sarado correndo no parque! Mas nada é perfeito, porque o que esse povo fuma né brincadeira não!

Conversando com uns colegas de classe daqui eu percebo que todo mundo aqui viaja. Lugares como Cuba, México, Havaí são completos clichês. E nem quis colocar na lista o vizinho Estados Unidos. Isso se eles não foram mais longe, como: Europa, Asia e pra você ver minha roommate foi pra Austrália. Ah, eu quero essa vida! Isso sem contar lugares pra ir e coisas pra fazer dentro do próprio Canada. Eu tenho na minha lista ir ver as baleias e a aurora boreal! E é por essas e por outras que eu estar aqui me da essa sensação de um mundo de possibilidades! Parece que tudo é possível e que a vida é mais bela aqui. Acho que estou num momento paixão Canada/Montreal. hihihi Sou infinitamente grata de estar aqui e ainda ficar aqui mais um pouco. Aqui só me faz falta pessoas. Colegas eu tenho, mas me faltam amigos. E amigos como os que eu tenho lá não sei se acho aqui. Bate uma solidãozinha, um desejo de achar as pessoas certas ou de que diferenças culturais não fossem grandes ou barreiras. Mas eu tenho só um ano aqui e apenas seis meses de curso. Quem sabe se meu melhor amigo/a ta sentando do meu lado e eu não sei rss

*e procurando foto pra esse post dei de cara com isso: 7 reasons to love living in Canada.

Ela

Pensamentos e mais pensamentos

Volta meia eu olho pra minha vida e vejo onde eu estou. Estou muuuito feliz de esta aqui e de ter prolongado. Quando preencho um formulário e coloco no meu endereço Canada da um sensação boa. Parece que eu por aqui o meu lugar =)

Esse final de semana que passou era pra ser o meu ultimo.Pois é eu intercambio acabou! No plano original da viagem eu já estaria de volta no Brasil torrando no calor infernal de la e e me juntando a multidão que pede por chuva no Rio. Mas ao invés disso cá estou eu com mais dias, meses e anos por aqui. É um alivio saber que consegui renovar tudo sem problema. Tenho meu CAQ, minha permissão  de estudos e até meu visto pra poder sair do pais e voltar. Tudo válido até o fim do curso! 😀 Estou aqui, mas ainda não to no processo de imigração. E se Deus quiser e permitir o PEQ não vai passar por mudanças de regras que me fechem as portas.

As vezes eu me pego pensando se eu sei o que eu to fazendo. E é muito louco. E admiro demais que pensa em fazer isso sozinho. Quem vem em casal ou em família em o apoio um do outro, mas quem vem sozinho ta sozinho! Eu bem ou mal tive meses pra conhecer a cidade, foi me acostumando com o frio conforme ele foi chegando e de longe minha mãe tem me apoiado demais!!! Mais que nunca sou gratississima a ela! E outra pessoa que tem me ajudado muito é meu namorado aqui (não vamos entrar em detalhes… Não, ele não é daqui). Mas uma vez eu digo que é muita coragem vir pra cá sozinho. Faz falta ter uma segunda mão, uma segunda opinião ou alguém pra te levar  ou mesmo pra dizer um “put yourself together” quando necessário rsss.

Esse foi ou esta sendo meu primeiro ano aqui com todas as estações e confesso que queria estar curtindo mais o inverno. Não fui no igloofest nem no fete des nieges por falta da companhia e ainda tenho que ver se tenho como ir no carnaval de inverno… =(

Tenho curtido o curso e reparado em algumas coisas que ouvi sobre turismo e hotelaria no Brasil e aqui. Por exemplo ouvi muito no Brasil pessoas dizendo que entraram no curso porque gostam de viajar (isso quando não escolheram nada e foram parar ali). Não lembro de nenhum prof dizendo que da pra viajar em turismo. Você basicamente fica e recebe quem chega. Aqui, por outro lado, os professores não só afirmam que é possível viajar em hotelaria como são provas vivas disso! Eu acho tambem que os profs daqui sabem mesmo do mercado e tem experiencia no que fazem. Se no Brasil um prof é alguem que trabalha ou trabalhou no hotel aqui eles são o gerente geral ou gerente de área. Um prof é dona de uma consultoria, a outra é gerente geral E estudou no LaSalle (!!) e o outro trabalhou em muitas redes e viajou o mundo! Ele foi desses que foi treinar o pessoal num hotel novo por um tempo e depois vai pra outro lugar. Acho maximo! E o mais legal de tudo é que ele trabalhou pra mesma rede que eu estagiei no Brasil *_*

As vezes eu olho pro meu quartinho e fico feliz. Comprei mesa, cadeira, roupa de cama, cortina, espelho e um gaveteiro. São minhas primeiras posses no Canada. Fico pensando por quando tempo vou ter essas coisas. Fico tentando advinhar o futuro e pensando como vai ser quando eu me mudar daqui. Por mim eu ficaria aqui ate o fim do curso pelo menos. Estou a poucos passos do colégio e não preciso me preocupar com onibus, metro em pane, como chegar nem como voltar. Enquanto tiver pernas não tem problema! Tudo que eu preciso esta ao alcance. Mas como nada é perfeito a casa em si é velhinha e tem o bonus da convivencia com mais 4 pessoas. Sem contar que 2 se graduam esse ano e eu não sei como fica a casa… Queria tanto dar uma espiadinha no futuro e ver umas coisas rssss

Mas por hora é isso, mais uns 2 (?) meses de inverno, mais um feriado sem família (quem vai me dar ovo de pascoa?). Vou passar o verão estudando tambem e ver como é ver ele chegar. Sera que vou ficar de shortinho com 17C?? hahahha

E quer saber, to sentindo falta de ver TV o_o

Ela