Eu fui na palestra do BIQ

Conforme eu comentei aqui ontem eu fui lá na palestra do BIQ. Como eu já esperava foi a mesma coisa da palestra virtual que vimos inicio de Agosto, nada de novidade.

Antes da Perla começar a falar de imigração uma representante da Aliança Francesa fez propaganda e vendeu seu peixe. Na verdade, eu acho que falou um pouco demais, mesmo dizendo umas coisas que eu não sabia (e olha que estudei lá um ano) , como por exemplo: eles tem cursos específicos. Ela citou, curso aperfeiçoamento da escrita, aperfeiçoamento da fala, francês jurídico, francês médico, preparação pros exames internacionais (que agora é obrigatório e são feitos na Aliança Francesa) e eu ainda lembro dela ter falado de algum curso ‘de Québec’ que eu não achei no site, alem de aulas particulares (pra quem não tem tempo de ir até o curso o curso vai até você). Sem contar os eventos que a Aliança faz e promove.

Ela tambem citou o tal reembolso que o governo do Quebec dá para as aulas de francês. Mas pra frente durante a palestra a Perla explicou que o limite do reembolso é 1.500 CAD o que seria, hoje, uns 3.000 reais. MAS só pra aulas na Aliança instituições parceiras. E se eu não me engano só pras aulas depois do inicio do processo.

A Perla se apresentou e perguntou ainda no inicio quem ali não sabia nada, não tinha pesquisado nadinha de nada pra ela saber o quanto ia ter que falar claro. NINGUEM levantou a mão! =O Mas depois de um “não precisa ter vergonha” uma pessoinha criou coragem. Depois ela perguntou tem ja tinha pesquisado. MOOO GALERA pra não dizer todo mundo. E por ultimo, quem ja tinha dado inicio ao processo. Alguns, eu achei um bom grupo, levantaram a mão. Inclusive o casal do meu lado rs. Ela explicou e reforçou muito a importância do francês. TEM que ter francês. Não tem outro jeito. Depois ela explicou as coisas de sempre: por que precisam de imigrantes, o território, tamanho da população, clima, sociedade e valores bla bla bla tudo o que tem no site oficial. Ela tambem reforçou muito pra procurar saber das outras regiões além de Montréal. Mostrou um mapa com as 17 regiões do Québec, ressaltou que Montréal é uma ilha e não tem pra onde crescer e, sutilmente, disse que o custo de vida ali pode ser um pouco mais alto que nas outras regiões.

Eu achei interessante que não foi mencionado “Canadá” por um booom tempo. Imigrar para o Québec. É uma palestra sobre Québec. Québec é uma provincia, mas não disse do Canadá. É só uma província. Canadá só foi mencionado quando estritamente necessário: processo federal.

Pro pessoal de TI ela sugeriu o Quebec na Cabeça (ou em FR Québec en Tête) e tambem é um bom site para ver custo de vida. Disse que tem tudo explicadinho.

Sobre os conselhos e credenciais de algumas profissões ela deixou claro que é bem complicado para médicos e advogados. Nem adianta. =O Considerando que é uma palestra pra incentivar a imigração isso foi bem direto e cruel. Acho que vale escutar. Já para enfermeiros ela mais uma vez sugeriu que entrasse em contato com o pessoal de lá conselho de enfermeiro de lá (poxa não peguei o nome…) que eles ajudam mesmo se você não estiver no processo ainda. Pode simplesmente dizer “estou interessada/o” que eles respondem.

Quando a duração do processo ela divulgou o tempo de 12 meses provincial e 12 meses federal. Que é o novo ‘tempo ideal’, pelo menos a nova estimativa deles. Mais uma vez ela disse que o pessoal do México só está avaliando os dossiês brasileiros. Explicou que com a mudança do escritório de SP para o México (organizar tudo, empacotar tudo, enviar, receber, organizar tudo de novo) houve atrasos e pra compensar eles estão focando na gente rs. O escritório de SP ainda existe, mas ele não tem mais nenhuma ligação com o processo de imigração. Não adianta perturbar perguntar nada a eles. Agora eles são só eventos, cultura etc do Québec no Brasil.  *Alias, quem quiser receber a programação é só mandar um email para qc.saopaulo@mri.gouv.qc.ca e pedir.

Ela falou mais uma vez da importância do francês. Ela deu mais enfase agora do que na palestra virtual. Com a mudança do processo e com a Pauline Marois o francês é importantíssimo, mais indispensavel do que nunca! Estude francês.

Para o requerente principal é exigido teste de francês E inglês. Para o cônjuge só francês. Não existe um nível minimo exigido.  É apenas para contar prontos no idioma. Sem isso esse critério fica zerado! Idioma da até 16 pontos para o requerente principal. No final, uma mulher perguntou se era mesmo exigido o inglês porque  no formulário (parece que) tem a opção de não enviar o teste de inglês. É verdade, mas aí você perde ponto…

Ainda nos testes, o de francês aceitos são vários (TEF, TEFAQ, TCF, TCFQ, DELF, DALF), mas o de inglês só o IELTS. Aqueles testes que ‘T’ alguma coisa de francês tem validade de uns 2 anos, já o DELF DALF é diploma, logo não tem validade. MAS de qualquer forma para o consulado o teste tem que ter menos 2 anos (entre a data do exame e a chegada do dossiê no consulado). Testes mais “antigos” que isso tem que ser refeito.

Depois do idioma (francês), o outro critério que da muitos pontos é a profissão.  Existe uma tabelinha em algum lugar que diz quantos pontos dá cada profissão. Se sua profissão da 0 (zero) pontos nem adianta mandar o dossiê. Tem que esperar uma alteração na lista de profissões. A profissão do cônjuge NÃO precisa dar ponto. Ou seja, se a profissão dele/a estiver zerada não tem problema, isso é só pro aplicante principal.

As entrevistas agora em novembro/dezembro é pro pessoal já com o processo aberto. As novas regras visam eliminar a necessidade da entrevista e por isso agilizar o processo *se eu não me engano o processo com entrevista já conseguiu ser de 6 meses pro provincial. Como é que sem entrevista vai durar 12 meses e ser mais rápido??? Com isso o CSQ seria entregue em casa. Ela chegou a comentar de ter uma entrevista como uma ‘segunda chance’, mas que serio focada na sua área de trabalho, no caso pra você pesquisar e apresentar empresas na sua área, as vagas, como anda o mercado e porque você é o candidato ideial pra imigração e tal. Posso ter entendido errado, mas ela usou o termo “segunda chance” e disse que seria focado no trabalho.

Ela comentou que tem gente esquecendo de mandar no dossiê o CV (tambem conhecido como curriculo) em francês ou inglês. E só é preciso traduzir os documento acadêmicos e experiencia profissional com tradutor juramentado. Juntando isso e os formulários que estão no site (e sei-la-mais-o-que que é pedido) é só enviar para o escritorio no México (endereço no site). E ela  lembrou que o federal não está fechado. Se estivesse ela não estaria aqui fazendo essa palestras rs.

AVISO: ela disse que o teste online – aquele que todo mundo faz pra saber suas chances – então… Ele esta desatualizado! Ela disse que ainda não atualizaram com relação as profissões, uma vez que nem todas são aceitas agora e tem pontuações e tal.

Uma dica é viajar se possível e conhecer a sua futura casinha. Viagens contam ponto a partir de 2 semanas, mesmo turísticas!

Durante as perguntas (aquela da mulher que não queria fazer o IELTS) eu ouvi que com 49 pontos você fica pra entrevista e acima de 55 ganha o CSQ em casa. Como isso foi quase uma “ouvição de conversa alheia” eu não sei se é coisa do processo antigo ou atual ou tanto faz. Mas se alguém achar a tabelinha de pontos e se avaliar sozinho já sabe o parâmetro.

Ela comentou do PEQ só pra gente saber que existe para minha tristeza (eu bem ia fazer um post comparando o CEC (federal) com o PEQ (provincial Québec), mas achei que ia ser muito trabalho por nada). O PEQ é um programa diferente do Trabalhadores Qualificados. É para trabalhadores temporários ou graduados com diploma de uma instituição do Quebec. É ‘mais fácil’ e mais rápido. Só que eu ainda não descobri como conseguir um trabalho temporário (intercambio não vale) que dure no minimo um ano. Por outro lado, é preciso ter uma fortuna pra imigrar como graduado, afinal um curso desse não é nada barato (exemplo: esses cursos custam tipo 17mil CAD por ano, que em reais vira 34mil e pouco e ainda duram 3 anos e nisso aí vai tipo 90mil reais só o curso no fim de 3 anos. Mas você não vai só estudar. Tem que comer, tem que ter um lugar pra dormir, a gente que curtir tambem né. Faça as contas 😉 Pode ser que você ache um curso mais barato – 12mil – ou mais curto – 2 anos – depende do curso, da área de formação da duração…. Eu não achei a formula secreta (aceito no PEQ + barato) e olha que eu pesquisei muito!)

Por fim, ela deixou o contato do BIQ México. O email de perguntas é o biq.mexico@mri.gouv.qc.ca . Ele manda uma resposta automática, mas ela confessa que a ‘resposta de verdade’ vai demorar um pouco (o pessoal ta enrolado) e que é melhor ligar mesmo. O endereço e o telefone tem no site.

Daí é isso. Acho que falei tudo e mais um pouco e já posso dar aula disso sem contar que esse texto tá giga enorme.

Ela disse que ia mandar coisas por email, quando receber incluo aqui 😉

Corra pra aula de francês!

Ass: Ela

8 pensamentos sobre “Eu fui na palestra do BIQ

    • Menina, tá tão grande que achei que ninguém ia ler rsss

      Bom, eu to realmente desistindo do PEQ 😦 Mas vou deixar pra decidir isso depois da feira Imagine Estudar no Canadá. Com as palestras e representantes das escolas lá eu espero poder tirar mais duvidas e ver de uma vez por todas se é viável ou não.

      E obrigada!! escrever isso tudo no trabalho não foi facil =P e confesso que não tive saco revisar…

    • Obrigada! Aprendi muito com os blogs e espero poder retribuir tb ^^

      Com certeza tem no site! Tem TUDO no site. Usa o campo de busca e procura em inglês ou francês. Mas eu não sei se existe uma lista só pro Quebec (deve ter, ele é todo ~especial~). Se não tem no site do Canadá. 😉

  1. Olá, parabéns pelo post!

    Na verdade gostaria de lhe perguntar à respeito dos enfermeiros. Você mencionou “entrar em contato com o pessoal de lá” para receber ajuda / informações, ou até mesmo dizer à eles que simplesmente está interessado. Com quem na verdade poderíamos entrar em contato? Sou enfermeiro e já estou no processo, gostaria de saber como obter tal ajuda.
    Obrigado, e parabéns pelo seu ótimo blog!

    Cleyton

    • Desculpa, não deixei claro. É o conselho de enfermeiros do Quebec. Ela até falou o email ou o site, mas eu acabei não anotando… Mas não deve ser muito difícil de achar no google. É só enviar um email dizendo que vc está interessado ou no caso que ja esta no processo e procurar saber o que precisa fazer para ser aceito no conselho e poder atuar na profissão (não entendo mt bem como essas coisas funcionam rs). Pelo o que ela disse eles ajudam sem problema nenhum.

      E obrigada e volte sempre =P

  2. Acho que a Perla as vezes contradiz o próprio MICC. No formulário DCS consta que tudo deve ter sua tradução feita. Como confiar ? E se o processo for devolvido porque não enviamos 2 ou 3 documentos traduzidos ? A melhor opção é ser conversador e evitar desgaste no processo.

Participe do blog, deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s